Guia Nordeste

Blog nordestino sobre destinos e dicas de turismo para férias

artigoschilepatagôniapuerto natalespuerto varas

Viagem para a Patagônia Chilena

Viagem para a Patagônia Chilena


Olá, aqui é a Milene Martins e comecei a escrever alguns artigos para o Vida de Turista contando um pouco das minhas andanças pelo mundo. Hoje vim trazer informações sobre minha experiência de viagem para a Patagônia Chilena.

Dentre os destinos turísticos sul-americanos, a Patagônia Chilena tem posto de destaque. Região repleta de beleza natural, colorido intenso, sabores característicos e cultura preservada. Bosques, lagos de águas cristalinas, glaciares, montanhas esplêndidas: tudo isso a seu alcance!

Onde fica a Patagônia?

A Patagônia é uma região localizada no sul do continente americano. Ela é compartilhada por dois países: Chile e Argentina, sendo que 76% dela fica dentro dos limites do primeiro e 24% dentro dos limites do segundo. O Rio Colorado marca o limite norte dessa região, que termina no Estreito de Magalhães, um canal de 600 km de largura. Nesse ponto se juntam os oceanos Atlântico e Pacífico.

Quando fazer viagem para a Patagônia Chilena?

O clima na Patagônia é bastante seco, de forma que é possível desfrutar bem de todos os passeios ao ar livre, especialmente se você for no verão. Sua preocupação maior deve ser em se proteger dos ventos gelados que entram no continente vindos do Oceano Pacífico.

Carregue um agasalho na mochila, ainda que esteja indo para um passeio de dia. Nas cidades turísticas da Patagônia é comum encontrar lojas especializadas em roupas para montanhistas. Você consegue nelas um corta-vento, uma espécie de capa que te deixa transpirar, mas não deixa o vento remover o calor do corpo.

Prefira visitar a parte mais ao sul da Patagônia entre dezembro e março. No verão você sofre menos com o frio e tem mais chance de ver animais. Ao mesmo tempo essa é alta temporada e os preços ficam mais caros. É possível encontrar pacotes de viagem para a Patagônia a partir de R$ 7 mil reais em sites como o do Zarpo, da CVC ou do Hotel Urbano.

Por que fazer turismo na Patagônia Chilena?

No Chile, o órgão público responsável pelo turismo recebe o nome de Serviço Nacional de Turismo do Chile. A instituição divide a patagônia chilena em várias regiões com base no relevo e clima. Porém, a divisão mais simples para o turista não chileno é a encontrada em “Chile e Ilha da Páscoa”, guia produzido pela Lonely Planet:

  • Patagônia do Norte: com início na altura da cidade chilena de Valdívia, tem atrações como as Termas de Puyuhuapi (resort que oferece banhos em piscinas de água quente extraída de fonte termal) e o Parque Nacional Laguna de São Rafael (passeios de barco até fiordes, com direito a apreciar um glaciar de perto um glaciar de 60 metros de altura).
  • Patagônia do Sul: abriga a tranquila cidade de Puerto Natales, entrada para o deslumbrante Parque Nacional Torres del Paine. Tem também a cosmopolita cidade de Punta Arenas, a partir da qual você sai de barco para visitar colônias de pinguins na Ilha Magdalena.

Você já deve ter percebido: opções para todos os gostos. A melhor forma de aproveitá-las é encontrando bons pacotes para Patagônia chilena.

Meu roteiro na Patagônia Chilena

Meu marido e eu planejamos nossa viagem para a Patagônia chilena saindo da cidade de Puerto Varas, que fica na Região dos Lagos. No Brasil, o que chamamos de estado, no Chile é denominado província. A cidade de Puerto Natales fica na província de Última Esperança. O trajeto entre Puerto Varas e Puerto Natales foi feito de ônibus. Gastamos cerca de três horas e meia.

Puerto Natales, município fundado por colonos alemães interessados na criação de bois e ovelhas, tem hoje aproximadamente 19 mil habitantes. Atualmente fábricas de processamento do pescado (principalmente salmão) e turismo empregam muita gente.

A cidade conta com uma boa rede de hotéis, pousadas e hostels, já que é procurada por viajantes vindos dos mais diferentes pontos do mundo. Tem ótimos restaurantes em Puerto Natales nos quais conhecemos a culinária local, que tem sua base na proteína animal com batata. A cidade oferece poucas atrações urbanas, mas uma imperdível é o Museu Histórico. Ele exibe peças artesanais das populações nativas da região e conta sobre a ocupação da área por europeus.

Puerto Natales Patagônia Chilena
Puerto Natales Patagônia Chilena

No entorno de Puerto Natales fizemos dois passeios:

  • Mirador Dorotea, situado a 10 km do centro, consistindo de um mirante onde se chega depois de caminhar por uma floresta de lenga (árvore típica da região). Vimos a cidade e um lindo perfil de montanhas com neve no topo.
  • Monumento Natural Cueva del Milodón, a uma distância de 25 km. É um dos sítios arqueológicos da área. Começa em uma caverna cuja entrada é um salão bem amplo. Foram encontrados aí fragmentos de pele e osso de uma preguiça-gigante pertencente a uma espécie já extinta. Em espanhol o animal é chamado de milodón. Também foram achadas flechas construídas pelos primeiros habitantes da Patagônia do Chile.

Parque Nacional Torres del Paine

O mundo todo quer fazer turismo na Patagônia chilena, desde que inclua o Parque Nacional Torres del Paine. Não economize aqui, vale imensamente comprar um mapa do parque (181.000 hectares de extensão) e organizar sua passagem por ele. Com o mapa, o visitante tem uma visão do todo: atrativos, rotas até eles, distâncias nos percursos a pé e tempo previsto nesses percursos.

No primeiro dia de visita, nós pegamos um ônibus que sai do centro de Puerto Natales. Nossa intenção era retornar para o pernoite na cidade. Porém, se você quiser dormir dentro do parque, é possível. Além do requintado Hostería Las Torres, que oferece quartos com vista para o maciço gigantesco, o parque tem pousadas e vários acampamentos.

Esses últimos são destinados aos visitantes que fazem os circuitos de trilha no estilo backpack. Os acampamentos cobram uma taxa de pernoite que atualmente está por volta de 24 reais, sendo oferecido quarto com beliches e banheiro compartilhado. Aqueles que quiserem acampar nas proximidades desses alojamentos, encontrarão banheiros exclusivos para eles. O parque oferece aluguel de saco de dormir e isolante térmico.

Nesse primeiro dia, fizemos uma trilha de cerca de 12 km a partir da entrada do parque. Já nesse ponto é possível avistar as torres, imensos granitos com neve acumulada na base. A trilha estava bem marcada, passamos por campos floridos e encostas que margeavam o Rio Ascencio. Levamos água e lanche, já que sabíamos que no trecho que escolhemos não haveria pontos de venda de alimentos.

Montanhas Torre del Paine
Montanhas Torre del Paine

Continuando a viagem pelo Parque Torres del Paine

Voltamos para Puerto Natales e contratamos uma agência de turismo da Patagônia para nos levar em um passeio de um dia, saindo na manhã seguinte. Porém as agências são muito concorridas e não sugiro deixar para reservar em cima da hora. Minha sugestão é reservar o passeio pela Get Your Guide a partir desse link. Nesse site também é possível contratar outros passeios.

Fomos em um micro-ônibus, que partiu da sede da agência. No parque existe uma rede de estradas nas quais a velocidade máxima permitida é de 50 km/h, podendo ser usada também a cavalo e de bicicleta.

O primeiro ponto de parada desse tour foi a Laguna Amarga, com sua água azul-esverdeada e um halo branco de sal no entorno. Depois seguimos para o Lago Nordenskjöld, que oferece uma vista da parte de trás das torres. Nesse percurso, de tempos em tempos algum passageiro pedia para que parassem o ônibus para fotografar. Em uma dessas paradas, eu contei aproximadamente 60 guanacos em um vale.

Passamos também pelo Salto Grande, uma queda de nível do Rio Paine. As rajadas de vento tentando nos derrubar, o ruído ensurdecedor da água azulada e as montanhas acinzentadas em volta: tudo nos trazia sensação de insignificância, mas também de felicidade.

Depois de almoçarmos na Pousada Rio Serrano, que fica dentro do parque, a agência nos levou para a praia do Lago Grey. Essa praia tem uma areia marrom claro e bem grossa. Com o vento forte, os grãos de areia voavam e nos atingiam no rosto, uns entrando pela boca enquanto ríamos da situação inusitada. Diversão pura!

Iceberg Patagônia Chilena
Iceberg Patagônia Chilena

O Glaciar Grey, a alguns quilômetros dessa praia, não pode ser visto dali. Porém, três icebergs imensos tinham se destacado dele e se exibiam para nós. O visitante que desejar conhecer o Glaciar Grey de perto consegue fazer isso em um passeio de catamarã. Pode também contratar um guia para um trekking sobre a longa geleira.

Na nossa viagem para a Patagônia chilena não podíamos deixar de fora Punta Arenas, um dos “fins do mundo”. Cidade vibrante, com muitos bares e restaurantes. Caminhamos até uma parte alta, de onde observamos o porto, os telhados coloridos das casas, o Estreito de Magalhães e depois dele, a Terra do Fogo. Uma grata surpresa foi visitar o Museu Naval e Marítimo. Instalado em um sobrado antigo e elegante, o museu expõe réplicas de navios comerciais e de guerra, além de peças originais de embarcações. O custo do ingresso é bem baixo.

Hotéis para a Patagônia Chilena

Um bom hotel faz toda a diferença em qualquer viagem, concorda? É o local para renovar as energias, tomar aquele banho gostoso para se esquentar depois de um passeio gelado e também sair para a viagem preparado após um delicioso café da manhã.

Temos algumas sugestões de hotéis para a Patagônia Chilena:

Criando seu roteiro para a Patagônia chilena

O segredo para sua viagem dar certo é planejar com antecedência. Esclareça quando e por quanto tempo pode permanecer na região. São muitos detalhes para pensar, por exemplo:

  • Horários de voos na ida e na volta
  • Lugares de hospedagem em diferentes cidades
  • Passeios que você ouviu falar que são interessantes e quer fazer também
  • Pontos para comprar lembranças, mas que não vão te cobrar caro.

Você não precisa pensar em tudo isso sozinho! As pessoas na Patagônia chilena são muito hospitaleiras e comunicativas. Elas estão acostumadas a receber visitantes e de outros países não se importarão se você não as abordar em espanhol. Mas não custa nada mostrar gentileza e reservar um tempo para aprender algumas expressões básicas antes de partir.

Tenho certeza que a sua viagem será tão sensacional como a nossa. E se ficar alguma dúvida, deixe seu comentário aqui embaixo no blog! Bom divertimento!

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI!

  • Se quiser viajar para o paraíso, o Zarpo tem os melhores pacotes de viagem em resorts e hotéis de tirar o fôlego.
  • Para encontrar a passagem aérea com o menor preço do mercado, não deixe de consultar o site do Kayak que consulta os preços em várias companhias aéreas!
  • Reserve diárias de hotel no mundo inteiro de maneira prática e segura no Booking.com, com opção de cancelamento grátis e sem precisar pagar antecipadamente!
  • Precisa de aluguel de carro? Na RentCars o pagamento é feito em reais, sem cobrança de IOF parcelado sem juros no cartão ou com 5% de desconto no boleto.
  • E não esqueça do seguro viagem. Na Seguros Promo você usa o cupom VIDADETURISTA5 e ganha desconto de 5% na compra.
  • Para os passeios, ingressos para tours, shows e entradas em museus você pode contar com a WePlann em vários lugares do mundo.
  • Com o cupom VIDADETURISTA da América Chip você ganha 5% de desconto na compra de um chip internacional para viajar conectado o tempo todo.

Ao fazer uma compra com um parceiro através do blog recebemos uma pequena comissão. Ninguém paga a mais por isso e de quebra ajuda o blog a trazer sempre artigos e novidades atualizadas. Obrigado! =)





Postagem Original

Comment here